Capuchinha



Capuchinha

Capuchinha: uma PANC dos “pés à cabeça”. Descubra aqui o porquê.

A capuchinha é uma planta nativa das regiões montanhosas do México, do Peru e também do Brasil. É uma planta ornamental e PANC “dos pés à cabeça”, uma vez que podemos comer suas flores, folhas, frutos, sementes e ramos.

Possui um aroma agradável e um sabor picante que lembra a rúcula e o agrião. As folhas são arredondadas e podem ser totalmente verdes ou verdes com bordas avermelhadas. Suas flores são lindas, vistosas, encontradas nas cores vermelhas, alaranjadas, amarelas ou brancas, e se parecem com um capuz, por isso seu nome “capuchinha”.

Seu sabor é predominante e, além de deliciosas, são plantas funcionais e ótimas amigas na horta.

Conhecidas como plantas companheiras, atraem parasitas evitando que possam atingir outras plantas. Uma amiga e tanto para a natureza e para nosso paladar. Muitas receitas são vistas em formato de saladas, mas poucas pessoas sabem que suas flores, folhas e sementes são ótimos chás.

O uso culinário tem ganhado espaço em muitos pratos. As folhas jovens e as flores podem ser usadas em saladas cruas e também para fazer massas verdes, patês, panquecas, pizzas, pães, serem cozidas com carnes, sopas, charutinhos e risotos. Seus talos e os pecíolos (cabo da folhas) podem ser aproveitados em cozidos, sopas, refogados ou bolinhos. É ideal cozinhar, triturar e peneirar para eliminar a parte fibrosa. As sementes - maduras - podem ser tostadas, moídas e funcionam como pimenta-do-reino. As flores e os frutos imaturos também podem ser usados em conservas, como se fossem alcaparras. Não disse que dava para usá-la dos “pés à cabeça”?

Além da sua beleza e seu sabor indescritível, ainda é considerada antisséptica, antioxidante, anti-inflamatória e antibiótica. Suas flores carregam vitamina C e suas folhas ferro. A planta possui um alto valor nutritivo, é rica em enxofre, antocianinas, carotenoides (luteína) e flavonoides. Há diversas indicações terapêuticas para casos de:

• Falta de apetite;
• Controle de acnes;
• Alergia na pele;
• Problemas digestivos;
• Retenção de líquidos;
• Fortalecimento do couro cabeludo;
• Controle de caspas;
• Cicatrização de feridas.

Essa é uma PANC queridinha e que também é fácil de cultivar em casa. Mesmo em pequenos espaços, basta ser colocada em vasos maiores para que ela possa se espalhar ou até mesmo se adequar como trepadeira, de maneira que tenha onde se apoiar. Certamente fica linda e exuberante, mas é bom limitar seu espaço, ou seja, não tenha dó de alimentar-se de capuchinhas.

Nome Científico:
Tropaeolum majus L.


Nome Popular:
Capuchinha


Partes utilizadas:
Folhas, flores e sementes


Fuxico de Capuchinha
Separe as folhas maiores e recheie com uma pasta de ricota e castanhas de sua preferência, temperada com azeite, sal e ervas. Faça uma trouxinha e amarre com palha ou barbante.
Sirva gelado como entrada ou petisco.