Mostarda



Mostarda

Com sua cor verde-escura e bordas dentadas parecendo até que foram recortadas a mão, a mostarda é um dos vegetais folhosos mais nutritivos.

Conhecida como mostarda, mostarda-oriental, mostarda-castanha ou ainda mostarda-da-índia, pertence à família  Brassicaceae, que também inclui o repolho, os brócolis e a couve-de-bruxelas.

Tem o seu sabor parecido com o da rúcula e da couve e é muito comparada com o espinafre. É celeiro de muitos fito nutrientes com propriedades de prevenção de doenças e promoção da saúde.

Nativa do sub-Himalaia, planícies do subcontinente indiano, a mostarda faz parte do time das PANCS que além de possuírem suas folhas comestíveis, também tem as flores, sementes, caules e raízes muito deliciosas.

No Brasil, os usos mais comuns das folhas são refogadas, cortadas como couve e douradas em alho e azeite e também em sucos funcionais, onde o vegetal é fervido antes de ingeri-lo para retirada de alguns ácidos que fazem parte da sua composição.

Na culinária auyrvédica/indiana, as sementes são usadas como condimentos e vistas como especiarias que regulam e fortificam nosso corpo. Funcionam como antídoto e carregam consigo propriedades medicinais, sendo muito utilizadas no tratamento de casos de artrite, dores nas articulações inchadas, edemas e alívio de dores de cabeça, e na versão em pó podem ser usadas como pasta e aplicadas externamente.

A mostarda é excelente fonte de:

• Vitamina A: excelente ativadora da visão e cuidado com a pele e mucosa, evitando infecções;
• Vitaminas do complexo B, principalmente B1, B2 e B5 (niacina): possuem como funções principais evitar problemas de pele, auxiliar o crescimento, estimular o apetite e facilitar a digestão;
• Minerais como cálcio, fósforo, potássio e ferro: o cálcio e o fósforo são importantes para formação dos ossos e dentes, promovem o crescimento e auxiliam na coagulação do sangue. Já o ferro faz parte da formação do sangue e do sistema produtor de energia do organismo, e o potássio faz muito bem ao coração, pois é fundamental na contração do músculo esquelético cardíaco;
• Também é uma ótima fonte de fibras (celulose): importantes para o bom funcionamento do aparelho digestivo, uma vez que promovem a regularidade intestinal.

Com tantos benefícios, cultivá-la é um presente para sua alimentação, além de diversificar a horta.

É preciso que esteja em sol pleno, bem adubado e mantido úmido.

Elas vão bem em vasos grandes, pois podem chegar até 2 metros, mas sua colheita pode ser antes de chegar nessa altura.

A planta completamente crescida atinge quase 4 metros de altura e tem flores na cor amarelo-dourado. Não disse que valeria a pena tê-la no seu cantinho?

Nome Científico:
Tropaeolum majus L.


Nome Popular:
Capuchinha


Partes utilizadas:
Folhas, flores e sementes


Fuxico de Capuchinha
Separe as folhas maiores e recheie com uma pasta de ricota e castanhas de sua preferência, temperada com azeite, sal e ervas. Faça uma trouxinha e amarre com palha ou barbante.
Sirva gelado como entrada ou petisco.