Pequi



Pequi

Não se espante com os espinhos! O fruto do pequizeiro é um ótimo aliado para a saúde do seu coração.

O pequi é também conhecido por pequizeiro, piqui, piquiá e pequiá, cuja designação representa as árvores do gênero Caryocar, na qual a espécie mais utilizada é a Caryocar brasiliense. Seu nome vem do Tupi e significa “pele espinhenta”.

É uma árvore tipicamente brasileira que nasce principalmente no Cerrado e algumas áreas do Nordeste. Existem também outras espécies que se desenvolvem na Floresta Amazônica.

Possui uma copa frondosa que pode chegar a 12 metros de altura e suas folhas são grandes. Seu fruto possui o tamanho de uma maçã, casca verde e no seu interior existe um caroço revestido por uma polpa comestível macia e amarela, bastante nutritiva e utilizada no preparo de vários pratos. Embaixo da polpa existe uma camada de espinhos muito finos, por isso ao roer o pequi cozido é preciso ter cuidado para os espinhos não ficarem grudados na boca. As amêndoas, que são as sementes do pequi, apesar de pouco conhecidas também são comestíveis. A época de produção dos frutos é de novembro a janeiro.

A polpa do pequi possui sabor marcante e pode ser consumida cozida, sendo muito utilizada na culinária regional em deliciosos pratos, como arroz ou frango com pequi. Também pode ser usada como tempero e em conserva. Pode-se também extrair um óleo utilizado para condimento e na fabricação de licores.

Entre suas propriedades nutricionais destacam-se:
• Ótima fonte de vitamina A, importante para o sistema imunológico, olhos e pele;
• Excelente ação antioxidante, combatendo com eficácia os radicais livres no nosso organismo, responsáveis por inflamações, doenças crônica, envelhecimento, morte celular e câncer;
• Excelente ação no controle do colesterol e das triglicérides, tornando- se um grande parceiro do coração combatendo as doenças cardiovasculares;
• Atua como protetor gástrico, sendo capaz de prevenir a formação de úlceras e facilitar a sua cicatrização.
• Ação hipotensora, ou seja, diminui a pressão arterial;
• Ação neuro protetora, atuando na proteção dos tecidos cerebrais.

No seu uso popular, também é muito utilizado para rouquidão através de chás, cremes ou através do óleo. É utilizado como fortificante por suas propriedades nutricionais e curativo para pequenos ferimentos. Para dores reumáticas, musculares e contusões, faz se uso utópico do óleo do pequi, conhecido por acelerar a regeneração dos tecidos.

Além desses aspectos, o pequizeiro também pode ser cultivado para recomposição ambiental, proteção de nascentes e sombreamento de pastagens. O plantio em calçadas não é aconselhável, uma vez que a árvore fica muito alta e grande. Se o objetivo for plantio em quintais, a área deve ter espaço suficiente para que a árvore não apresente problemas para a estrutura da casa.

Viu só como os espinhos ficaram bem pequenos depois de saber disso tudo? Bom apetite!

Nome Científico:
Caryocar brasiliense


Nome Popular:
Pequi, Pequizeiro, Pequiá-bravo


Partes utilizadas:
Frutos e poupa dos frutos


Risoto com Pequi
Refogue 1 cebola pequena, adicione 1 xícara de arroz e suco de ½ limão, acrescente aos poucos um caldo caseiro de legumes. Descasque 6 frutos já cozidos e corte a poupa em lasca, adicione 1 xícara de talos de beldroega, queijo ralado pimenta do reino e sal a gosto. Junte com o arroz e cozinhe novamente.